About The IOTAfaucet Project

FAUCET STATUS: Experimental Phase


This is an experimental project aiming to develop a faucet for free iotas distribution, in order to allow more people to get acquainted with IOTA and the Tangle tecnology.

At this initial stage, each user will receive 1 Kiota... do you know what a Kiota is? Check here:

We expect that with this initiative a larger number of developers and projects working on IOTA proofs of concept will be benefited and feel more encouraged.

How to participate

Each person is supposed to make one single request per day, please. The distribution is still manually managed, and it would be humanly impossible to attend a huge number of requests at once.

To receive your iotas, simply fill the Request Form, providing us with the required information.

After successfully submitting the request form, you will receive an e-mail message with further instructions.

The whole procedure is slightly bureaucratic (sorry), but it will be improved. For now, let's accept this as some kind of "human PoW" ;)

The requests are manually processed once every 24 hours (eventually there can be exceptions to this rule).

It shouldn't be necessary to say that abuses will not be tolerated. The faucet can (and will), at our own discretion, reprove any requests that we believe to be abusive (so, please, do not spam - if there are too many abuses we will be forced to shut down this service).

If you want it, the website or blog of your project can even be added to our IOTA Projects list!

Merchants

If you're a merchant, and you accept IOTA in your business, you can also be added to the "IOTA Merchants" list in this site. Just send us a request and add a IOTA logo to your website (like the following):

Success!

What Is IOTA?


IOTA is a brand new and novel micro-transaction cryptotoken optimized for the Internet-of-Things (IoT). Unlike the complex and heavy blockchains of Bitcoin and the like, which were designed with other uses in mind, IOTA is created to be as lightweight as possible, hence the name "Iota" with emphasis on the ‘IoT’ part.


The number of connected devices that will permeate our modern landscape in the coming decade is estimated to be 50 billion(!) Each of these are designed to make the world a better and more seamless place for us. Tied to this fantastic promise are of course a ton of obstacles to be overcome, of which one major one is micro-transactions. These connected IoT devices must be able to automatically pay miniscule amounts to one another in a frictionless manner without having to compromise on product design by introducing additional hardware. This is why IOTA was conceived.

While it was developed as a solution to scalability issues faced in IoT, the underlying protocol is agnostic and can be applied in any other use-cases that utilize micro-transactions.

In order to achieve these audacious goals IOTA’s design diverged radically from blockchain cryptocurrencies. It still retains the core principle ideas of the distributed consensus blockchain, but in order to be able to scale to the size of the coming Internet-of-Things ecosystem with tens of billions of devices that are connected to each other, it needed to be very lightweight and efficient. This problem is solved by IOTA’s core innovation: the tangle.

Tangle

A Tangle is a Directed Acyclic Graph (DAG).

Tangle vs Blockchain

IOTA’s blockchain solves the following problems of its blockchain cousin.

Centralization of control

As history shows, small miners form big groups to reduce variation of the reward. This leads to concentration of power (computational and political) in hands of few pool operators and gives them ability to apply wide spectrum of policies (filtering, postponing) on certain transactions. Although there are no known cases where pool operators abused their power, there have been several instances where the opportunity were present. This possibility in a monetary system powering a multibillion (in USD) industry is completely unacceptable.

“Obsolete” cryptography

Although large scale quantum computers do not exist yet, future oriented companies have already begun initiating the steps towards quantum-resistant cryptography. From a security point of view it makes perfect sense to assume that hardware capable of cracking classical cryptoalgorithms may appear in the very near future, so preparation is the only defense.

Inability to conduct micropayments

Transaction fees are used to cover miner expenses and mitigate spam-attacks. They also set a threshold on the minimum amount of a payment below which money transfers become inexpedient.

Partition intolerance

Blockchain-based currencies are unable to survive long-sustained partitioning of the network because this may lead to reversal of a large number of transactions. It is also impossible to initiate an intentional partitioning in cases when it is required.

Discrimination of participants

Existing cryptocurrencies are heterogeneous systems with clear separation of roles (transaction issuers, transaction approvers). Such systems create unavoidable discrimination of some of their elements which in turn creates conflicts and makes all elements spend resources on conflict resolution.

Scalability limits

Some cryptocurrencies have hard limits on the maximum transaction rate and this limits cannot be removed in a decentralized manner. A magic number of a limit set before the launch cannot satisfy requirements of a system unless it is set by a person with extraordinary prediction skill. A too low value may hinder growth of the userbase, a too high value may open system to different kinds of attacks.

High requirements for hardware

Bitcoin-derived cryptocurrencies use its original script-based approach which allows implementation of a wide range of use-cases. Other currencies use an approach similar to one used by banks but add extra features. They both substantially raise requirements for hardware because of complex transaction processing logic.

Unlimited data growth

Storing of all state transitions leads to fast growth of data while does not increase stored balance information significantly. This inefficiency cannot be removed even with data pruning technique and high popularity of the currency may lead to its collapse.

Tangle-blockchain interoperability

IOTA does not seek to replace the blockchain entirely, it also acts as a supplementation to the current blockchain ecosystem by acting as a oracle for smart contract platforms like Ethereum and Rootstock. Additionally it increases security of blockchains by enabling the ability to include checkpoints for transactions.


O Que é IOTA?

IOTA é uma nova criptomoeda apropriada para a realização de microtransações gratuitas, e otimizada para a Internet das Coisas (IoT) que, diferente da complexa e pesada estrutura da Bitcoin e de outras moedas baseadas em blockchain, foi criada para ser tão leve quanto possível, daí o nome "IOTA" que dá ênfase à sua principal vocação, que é servir à IoT, Internet das Coisas.


IOTA é uma tecnologia totalmente diferente de todas as moedas existentes, e representa uma mudança radical de paradigma. Trata-se uma criptomoeda que não utiliza o blockchain, conseguindo assim solucionar as limitações das moedas surgidas da Bitcoin.

Uma nova tecnologia, denominada tangle, é base da rede IOTA, conferindo-lhe inúmeras qualidades superiores, dentre as quais destacamos:
  • enorme escalabilidade e velocidade;
  • inexistência de taxas, o que permite microtransações infinitesimais (nanotransações);
  • resistente a ataques por computação quântica;
  • estrutura modular e leve, apropriada para integração em quaisquer dispositivos no ambiente da internet das coisas (IOT).

Essa nova moeda é, sem dúvidas, o maior avanço tecnológico desde a criação da Bitcoin, e o primeiro motivo é justamente o fato de ela não usar blockchain. Ou seja, trata-se de uma solução que tem o potencial de superar e tornar obsoletas todas as moedas surgidas até o momento.

O problema com as moedas que usam blockchain é que quanto mais transações são realizadas, mais caras ficam as tarifas, sacrificando a possibilidade de realização de microtransações, mais lenta fica a rede, e o tamanho do armazenamento necessário para manter um node fica cada vez maior. A Bitcoin é um exemplo claro: não funciona mais sem o pagamento de mining fees cada vez maiores. Transações menores que 0.01 btc dificilmente são aceitas pelos mineradores. E, quando aceitas, há uma fila para processamento das transações, de forma cada vez mais demorada. E com o blockchain cada vez maior, a wallet ocupa um espaço enorme no computador, obrigando os usuários comuns a usarem carteiras leves (light nodes), o que diminui a segurança de todos, já que para ser segura, a rede peer to peer precisa de mais nodes completos (full nodes, ao invés de light nodes).

Esqueça a blockchain, a iota usa a tecnologia denominada "tangle", que promove uma real descentralização do processamento de transações na rede, já que cada node, ao realizar transações, é incentivado a contribuir com Proof of Work (PoW) em benefício da rede como um todo. Desse modo, cada nova transação realiza um PoW próprio que valida transações anteriores.

Na IOTA não existem mineradores e nem nodes privilegiados limitando o uso da rede. É uma rede verdadeiramente descentralizada em que cada node é importante.

Cada node é importante pois quanto mais transações ocorrem na rede IOTA, mais rápidas elas ficam, e mais eficiente e segura a rede como um todo fica, pois todo o PoW é realizado exatamente durante as transações. Este é um avanço incrível, pois é justamente aí que está a falha da Bitcoin e similares, que sofrem com o grande aumento no número de transações, ficando mais lentas. A blockchain permite a formação de verdadeiros engarrafamentos de transações, provocando o aumento de taxas de modo a tentar remediar suas limitações. Um problema do passado com a IOTA.

A maior das vantagens resultantes é que não só micro transações são possíveis... mais até... nano transações tornam-se algo trivial, e são realizadas de forma gratuita, sem fees, sem taxas, já que não sobrecarregam a rede, mas sim a beneficiam.

Outra grande vantagem, uma inovação da IOTA, é que não necessariamente um node precisa estar ligado à Internet para funcionar em sincronia com a rede, já que nodes podem ser interligados entre si pelas mais diversas formas, inclusive bluetooth, por exemplo.

Como se não bastassem vantagens, ela também foi projetada para resistir à computação quântica, uma realidade nos dias atuais.

Entretanto, mesmo com todos esses avanços, o objetivo específico da IOTA não é o de "competir" substituindo as moedas de blockchain, mas sim visa criar uma "simbiose", em que ambas as tecnologias atuam com benefícios mútuos. E como já dito, o foco primordial da IOTA está na Internet das Coisas (IoT), sendo adotada nessa indústria como moeda circulante no mercado M2M (machine-to-machine) que está em plena formação atualmente... mais ou menos algo do tipo:
  • seu carro tem uma carteira iota com 100 mil iotas de saldo. Quando você abastece, o sensor da bomba de combustível debita automaticamente de sua carteira iota o valor correspondente, por cada litro que for servido;
  • você estaciona seu carro, e o sensor do estacionamento debita, minuto a minuto as iotas devidas, durante o tempo que o veículo permanece estacionado;
  • sua geladeira detecta que seu estoque de cerveja está baixo. Ela envia o pedido imediatamente para o supermercado mais próximo, e o valor da compra é debitado do saldo de iotas da carteira integrada à geladeira;
  • streaming de video ou pay-per-view debitando de sua smart TV por minuto assistido;
  • aluguel de veículo debitando diretamente por tempo ou por km rodado;
  • inúmeros outros outros usos, que demandam micropagamentos continuados, e que são inviáveis utilizando-se a tecnologia limitada pelo blockchain.

Por isso que toda a estrutura da IOTA é desenhada de maneira leve e modular, de modo a ser facilmente integrada a equipamentos eletrônicos. E já existem grandes empresas de olho nessa tecnologia, que está se tornando uma realidade. Assim, o interesse inicial na compra de Iotas é por parte de desenvolvedores e empresas nessas áreas tecnológicas de automação e IoT.



http://www.dashnegocios.com